fbpx

Com colaboração da UFPB, diploma digital brasileiro é lançado nesta quarta (16)

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Certificado universitário antifraude será implementado em todo o país em 2021

O Ministério da Educação (MEC) lançou, nesta quarta-feira (16), em Brasília, o padrão do diploma digital universitário que será implementado em 2021, pelas Instituições de Ensino Superior (Ifs) públicas e privadas do país. Na ocasião, o portal validador nacional dos documentos também foi apresentado.

Certificado universitário antifraude será implementado em todo o país em 2021

O Laboratório de Aplicações de Vídeo Digital (Lavid), núcleo de pesquisa e extensão do Centro de Informática (CI) da UFPB, no campus I, em João Pessoa, é um dos desenvolvedores do diploma digital, totalmente à prova de fraudes.

A inovação foi criada através do Grupo de Trabalho para Serviço de Registro, Autenticação e Preservação Digital de Documentos (GT-RAP). Ele integra o Programa de Grupos de Trabalho da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (GT-RNP), em operação desde 2002. A rede é uma organização social vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Durante a solenidade, com início às 11h e transmitida ao vivo, pelo canal do MEC no YouTube, o ministro da educação, Milton Ribeiro, e o diretor geral da RNP, Nilson Simões, destacaram que a solução tecnológica incorpora o que há de melhor no conhecimento gerado pelas universidades brasileiras. O reitor da UFPB, Valdiney Veloso, participou da cerimônia.

A contribuição da UFPB para o desenvolvimento do diploma digital e da plataforma que irá validá-los se deu através do trabalho de pesquisadores como Guido Lemos e Rostand Costa, do Laboratório de Aplicações de Vídeo Digital (Lavid) da federal paraibana.

Eles contaram com o apoio da Superintendência de Tecnologia da Informação (STI) da UFPB e do professor e pesquisador Daniel Faustino, da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA).

Também nesta quarta-feira (16), o MEC publicou, na Seção I do Diário Oficial da União (DOU), uma instrução normativa com os critérios estabelecidos para que as Instituições de Ensino Superior (Ifs) adotem o sistema de certificação digital de diplomas.

Também colaboraram para a criação do sistema inovador pesquisadores da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), do Instituto de Tecnologia e Sociedade do RJ (ITS Rio), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), entre outras instituições parceiras.

PIONEIRISMO

Os primeiros diplomas universitários digitais do Brasil, desenvolvidos com tecnologia de registro e autenticação distribuída, baseada em blockchain (protocolo da confiança) e certificados digitais, foram entregues em 21 de fevereiro de 2019, a 11 concluintes dos cursos de Ciência da Computação e de Engenharia da Computação do Centro de Informática (CI) da UFPB.

blockchain pode ser traduzido como um banco de dados on-line, público e descentralizado, criado para tornar a distribuição de informação transparente e confiável.

O novo serviço que emite os diplomas digitais armazena por um longo tempo esses documentos e os autentica quando alguém precisa, garantindo que tudo aconteça sem risco de perda das informações, que devem ser capazes de perdurar além das instituições e sistemas de origem.

A validade jurídica e a segurança dos novos diplomas digitais são garantidas pela assinatura do documento por parte das Instituições de Ensino Superior (Ifs) com certificado digital e o uso do carimbo do tempo, que atesta a data e a hora exatas em que um documento foi assinado, ambos no padrão da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil).

A versão digital é semelhante ao diploma tradicional. A diagramação do documento fica por conta de cada universidade, a fim de respeitar a autonomia universitária. A validação das informações é feita por meio de um código alfanumérico e de um QR code (código de barras), ambos localizados no canto inferior direito do documento.

A solução tecnológica vai ao encontro de uma demanda crescente nos meios universitários por mais segurança na expedição de diplomas e de outros documentos que certifiquem a formação em nível superior.

* * *
Reportagem: Madrilena Feitosa

Ascom do CI/UFPB, com informações do MEC | Edição: Pedro Paz
Ascom/UFPB

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Não permitimos cópia do nosso conteúdo! Agradecemos a compreensão.

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Armazenamos cookies no seu dispositivo para melhorar sua experiência de navegação. Ao clicar em "Aceito", você concorda com isto.